quarta-feira, 16 de dezembro de 2009

Pier 21- retrato da juventude brasiliense




Os mulçumanos tem que ir a Meca uma vez na vida, os brasilienses tem que ir ao Pier.Seja pra comer, ir no cinema, comprar (ninguém compra lá as lojas parecem que são de enfeite mesmo) ou vagabundar mesmo.
O problema é que lá ta parecendo recreio de escola primária norte-americana, só tem pirralho CLONADO se achando.As trupes de amigas andando uma do lado da outra com a mesma roupa, mesmo cabelo, mesmo sapato não dá nem pra diferenciar uma da outra.
Os pré-púberes ficam na frente se pegando, e os pirralinhos mais velhos ficam atrás achando que tão causando. Melhor são alguns "fumando", sabem nem tragar..
Não to generalizando já que tem muita gente lá querendo só fazer um programa bacana com amigos ou família, mas que no geral a juventude de lá é fútil demais é, Brasília é uma cidade bem fútil "Em que bairro você mora?", "Que celular você tem?" "Que colégio você estuda?" são comuns até demais. Mas parece que no Pier é concentrado, os boyzinhos outdoor, as meninas metidinhas, os grupos de burguesinhos arrogantes são maioria. Aquela preocupação com roupa, com aparência, com namoros, com status é absurdamente grande. O pior é que são apenas crianças querendo se auto-afirmar...
Não to fazendo apologia a pobreza ou indo contra o conforto. Mas será que é bom pra essa juventude esse materialismo exarcebado? Essa superficialidade não dificulta o amadurecimento delas? E a tentativa frustrada de seguir padrões é bom pra auto-estima desses jovens? Shopping Centers não acrescentam nada na vida de ninguém.

14 comentários:

  1. Gostaria de saber uq crias deveriam conversar entre si.

    -músicas alternativas? putarias da noitada? música erudita? economia?

    deveriam brincar de pique esconde nas ruas vestidas em trapos?!

    A sociedade evoluiu e dá acesso a uma gama de prazeres. Se as crias preferem se encontrar e ter conversas "de criança", qo façam!

    O moralismo é uma semente MORTA no século XXI.

    Gente arrogante q se acha acima de críticas é uq Brasília tem EM EXCESSO

    ResponderExcluir
  2. Opa, alguém se queimou aí em cima,heauheuahauheuaheahuehu!

    Que a superficialidade continue sendo morada de tais seres. XD

    ResponderExcluir
  3. Ei, moro em brasília e concordo totalmente com você. Em tudo. Mas tem muita gente legal aqui também ok, e muito lugares bons pra se ir. Só é preciso procurar bem. Não gostei que você generalizou ): Não sou assim, nem minhas amigas. Btw, você deve ter ido no sábado a noite. JESUIS, É UM INFERNO LÁ APARTIR DAS 19h ._. Mas gostei e concordo com a sua crítica. Beijos.

    ResponderExcluir
  4. Você realmente não conheceu o park shopping há 15,20 anos atrás. Nada mudou, só os anos se passaram!

    ResponderExcluir
  5. Não apenas em Brasilia, mais em todos os lugares em que ser jovem é sinônimo de extravagância e atitudes precoces..

    ResponderExcluir
  6. Nada mudou, só os anos se passaram! [2]

    ResponderExcluir
  7. Lola este fato não é só da juventude de Brasília, é de todas as cidades. A única coisa que sou contra é o exagero, ficar só no shopping não dá, mas se o shopping fizer parte de outras atividades aí eu concordo. Até o vídeo game que a galera desce o sarrafo eu acho produtivo desde que a pessoa tenha acesso também a educação, ao esporte, jogos recreatívos e etc.
    O pier tem muito menininho, mas em fortaleza por exemplo os emos se reunem em um shopping específico, ou seja cada turminha tem seus locais preferidos, na minha opnião não há com que se preocupar, depois com o amadurecimento eles acabam enjuando. As meninas andando igual é normal, depois com o autodescobrimento elas acabam adquirindo o próprio estilo, eu já fui assim também e evolui hehehe
    Bjos

    ResponderExcluir
  8. Bem, aqui em Brasília também há o ponto de encontro dos Emos (leia-se: Pátio Brasil Shopping).
    Eu concordo muito com o artigo e discordo pouco. Está, sim, meio generalizado, mas o Pier é assim mesmo. é o ponto dos Playboy da capital. É lá onde os boyzinhos e as menininhas que tem dinheiro e poder aquisitivo (além duma cabeça de vento bem grande) se reúnem. Mas é assim mesmo e assim sempre será: não há como mudar isso. Sempre haverá os locais de encontro dos mais variados grupos, assim como o dos boyzinhos é o Pier, porque não o de pessoas mais alternativas não ser um centro cultural? o dos mais Nerd em convenções?
    Eu até entendo essa preucupação com a juventude cabeça de vento,mas há pouco o que se possa (ou se esteja disposto a fazer) por isso.

    ResponderExcluir
  9. Concordo em parte. Realmente, como alguém bem lembrou, é uma realidade comum noutras cidades. Mas não deixa de ser fato por causa disso.

    ResponderExcluir
  10. O assunto é interessante...
    A realidade se mostra como aparente e a miséria se mostra obscura e abafada...
    E voce, escritora, faz oque perante essa situação!? compra novas roupas?!
    Do que vale criticar e falar merda dos playboysinhos da asa sul se temos o mesmo sangue miserável correndo em nossas veias?!
    Eu to cansado de olhar aqueles pobres marginais das sargetas de nossos "word trade centers" e tratá-los com descaso, sem humanidade alguma.
    Idealista de merda, é oque eu, voce, ela, e todo aquele que luta por um mundo melhor com um nike no pé e um short da adidas...

    ResponderExcluir
  11. verdade, muitos jovens precisam ser mais maduros para serem levados a sério. Por isso muitas vezes os adultos dizem "essa juventude de hoje não é como antes, blá, blá, blá ". Muito bom seu texto ;D

    ResponderExcluir
  12. Marieta Chousshoffën17 de janeiro de 2010 01:43

    Shopping, coisa chata !
    Bom mesmo são pequenas galerias e as belas ruas
    da região da Oscar Freire, aqui em Sampa.
    Shopping é pra pobre!
    C&A, que nojo!
    kkkkkkk

    ResponderExcluir